5/8/2019

Confira a proposta de novas regras do Minha Casa Minha Vida

Está pensando em comprar uma casa e sair de uma vez por todas do aluguel? Então você precisa saber quais podem ser as novas regras do Minha Casa Minha Vida.

Diferente das regras aplicadas atualmente, em que todos os beneficiários do Minha Casa Minha Vida têm direito a comprar um imóvel por meio de financiamento imobiliário, com subsídio que pode chegar até 90% do valor do imóvel, as propostas do governo para o Minha Casa Minha Vida prometem adiar a conquista da casa própria.

Isso porque a principal mudança estudada pelo Governo Federal é a divisão do Minha Casa Minha Vida em dois programas de habitação. 

Para você saber mais sobre o assunto, continue lendo!

O que muda?

A proposta para novas regras do Minha Casa Minha Vida analisa a mudança do nome e também a divisão do programa da habitação em duas partes. Com isso, um dos programas seria destinado a famílias de baixíssima renda (faixa 1) e, outro, para as famílias de baixa e média renda (faixa 1,5 e faixa 2).

Como funcionaria cada programa?

De acordo com a proposta para as novas regras do Minha Casa Minha Vida, no programa destinado a famílias de baixíssima renda (faixa 1), o governo se encarrega de construir os empreendimentos, administrar o condomínio e doar a moradia para uso das famílias de baixíssima renda, mas permanece como dono do imóvel.

Dessa forma, os moradores ficam responsáveis para pagar apenas as despesas da casa, como gastos com energia e água. 

Nessa categoria também haverá a possibilidade de doação de imóveis para, por exemplo, pessoas que perderam suas casas em situações de calamidade pública. 

Para saber quem terá acesso a esse benefício, será realizada uma seleção pelo Ministério da Cidadania e pelos municípios. E uma das exigências é que o beneficiário esteja cadastrado em outros programas sociais com foco em capacitação profissional. O objetivo é que esse beneficiário possa, futuramente, acessar as faixas superiores do programa e ter posse de um imóvel.

Já a outra parte do programa, para famílias de baixa e média renda (faixa 1,5 e faixa 2), funcionará como uma forma de aluguel, ou seja, será feita a cobrança de um valor mensal do morador. Segundo o governo, é um incentivo para a aquisição do imóvel, já que todo o dinheiro arrecadado ficará em uma “poupança imobiliária”.

Dessa forma, o valor pago pelo beneficiário seria acumulado para ele, posteriormente, empatar em um imóvel próprio ou até adquirir o imóvel que está ocupando.

Mudar é preciso

As novas regras Minha Casa Minha Vida foram pensadas na tentativa de diminuir a  comercialização ilegal de casas e a inadimplência, seguida de tomada dos imóveis pela Caixa Econômica Federal. De acordo com as possíveis novas regras Minha Casa Minha Vida, também haveria mudança das faixas, já que o programa deixaria de atender famílias com renda de até R$ 9 mil, diminuindo o limite de atendimento para famílias que recebem até sete salários mínimos, ou seja, R$ 6.896,00.

Além disso, também estão sendo estudadas regras mais duras, que vão considerar não apenas a renda máxima para adquirir o financiamento, como também uma renda mínima.

Quer saber como vai ficar a compra da sua casa própria com as novas regras do Minha Casa Minha Vida? Entre em contato com a gente, estamos prontos para tirar todas as suas dúvidas! 

Você também pode gostar: Quais são as vantagens em conquistar a casa própria 


VER TODAS AS POSTAGENS »

POSTS RELACIONADOS

No items found.
Elio Winter Incorporações

R. Brigadeiro Franco, 334
Mercês, Curitiba - PR
CEP: 80430-210

(41) 3352-5200

0800 601 8750
(para as demais regiões)

Elio Winter Incorporações. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Agência Cupola. • Política de Privacidade